para Augusto, infante

Um poema me pediam pro menino que chegara em

setembro-primavera. E justo neste dia, data augusta do Natal.

espraia-se o canto no branco do papel.

Você vem com o cometa Halley... Nada mudou, nada, desde a noite

antiga quando no alto brilhou pro outro menino. Olha (em voz

baixa): muitos slogans há, o essencial sabemos - vale a pena

ter vindo - por que bela é a luz

                           grande a dor e o que ela ensina

ao coração do homem.

Dorme teu sono bom, pequeno Augusto! Depois lembra-te de crescer

e ser-fiel.

 

 

 

Pag Anterior
Pag Anterior
Pag Anterior
Pag Seguinte
Pag Seguinte
Pag Seguinte

Pag

 09/27

Mostrar Mais

cmp