ENQUANTO a mulher acalanta o filho novo

o homem constrói,  nós,  os  operários

mais  chegados  às tuas vias,  com amor

vamos amontoando  os  materiais  para  o  Livro,

oh  Cidade-esplendor  que  já  existe  em  seu  lugar!

 

Espaço  há  ainda para  grandes  eventos

tempo muito para júbilo e dor e ninguém viu 

teu  rosto.  Podemos  apenas  supô-lo:

Nascerás de um morro?  De um arranha-céu?

Serás belo e forte?  Manso ou orgulhoso?

 

Ser  de  destino,  sobre ti  vão  abater-se

as fúrias,  a noite,  exílios.  Que importa?

Tua  alma  de  assinalado,  ó Bardo!

tua  alma  livre  será  -  e  tu,  feliz

 

virás ao encontro de todos com o Poema!

 

 

 

 

O POETA VINDOURO

o que comporá a saga brasileira e dirá a porção da nossa honra no Canto geral

Pag Anterior
Pag Anterior
Pag Anterior
Pag Seguinte
Pag Seguinte
Pag Seguinte

Pag

 23/28

Mostrar Mais

cmp